24.4.06

Os nossos corpos eram as nossas almas

(...) O sangue rodeava o segredo. E na sessão das rosas
dedo a dedo, isto: a fresta da carne,
a morte pela boca.
- Uma frase, uma ferida, uma vida selada.

Herberto Helder, Ou o Poema Contínuo

referer referrer referers referrers http_referer Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com